rentavel

O que fazer para tornar o meu negócio mais rentável?

rentavelQuem sempre faz tudo do mesmo jeito costuma chegar ao mesmo lugar. Quem não está satisfeito deve pensar seriamente em mudar. Selecionei algumas frases provocativas, citadas em manuais de administração:

Não trabalhe dentro do seu negócio, trabalhe para seu negócio.

A sutil diferença entre “dentro” e “para” faz grande contraste nas empresas. Ray Kroc, o grande administrador do McDonald’s, nunca pensou em fritar hambúrgueres. Seu objetivo era crescer. Por isso, ela soube pensar grande – para o negocio, e não apenas dentro dos limites de sua primeira lanchonete

Ocupe o primeiro lugar na mente dos seus clientes.

Se não conseguir isso, crie uma categoria em que seja mais fácil assumir a liderança. Você pode ser o melhor do bairro, ou o único que dá garantia por dois anos, ou o que atende com mais rapidez. O publico adora comprando líder. Por isso, descubra uma maneira de liderar

Menos é mais.

Simplifique tudo. Imagine como deve ser o final e escolha o caminho mais simples. Quem não traça seu percurso acaba ficando a mercê dos ventos, no meio de um oceano desconhecido.

Corte atividades não lucrativas

Procure ter controle absoluto sobre a rentabilidade gerada por seus clientes e por seus produtos. Não tenha medo de podar os galhos secos de uma arvore.

Aprenda a distinguir entre o que é urgente e o que é importante.

Que desculpas você continua dando a si mesmo para trabalhar em tudo, menos no que é mais importante.

Como construir uma marca para sua empresa

como criar sua marca

A marca tem um valor intangível, difícil de mensurar, mas pode trazer muito retorno ao empreendedor se ele souber desenvolve-la desde o inicio do negócio. Com certeza você se lembra das marcas mais conhecidas, porque sempre estão na mídia e acabam por influenciar suas compras. Mas como construir uma marca? Há empresas de consultoria especializada nesse ramo, o que geralmente demanda um investimento do empreendedor.

Se você não quer ou não pode investir muito, contrate consultores autônomos (cobram menos) especializados em marketing para criar o conceito de seu negocio e os seus valores, bem como o que você quer que seu cliente pense quando vir ou lembrar do seu negócio. A partir daí, escolha um nome para o negócio que seja de fácil memorização ou tenha uma relação forte com o setor no qual você atua.

O próximo passo será a construção de uma logomarca; nesse caso, evite pedir ajuda a seu sobrinho (caso ele não seja especialista no ramo). Valerá a pena investir um pouco de recurso e criar uma marca com design profissional. Aliás, a mesma empresa que criar seu website poderá eventualmente oferecer esse serviço.

Finalmente você precisa registrar sua marca para ser utilizada na internet (como nome do seu site) e para ninguém copiar. Na internet você registra no site registro.br , pagando uma pequena anuidade. No Inpi o valor é maior, mas evitará que você tenha problemas no futuro.

Fonte: Guia do Marketing

Fluxo de caixa – Como manter sua empresa funcionando!

fluxo de caixa

O fluxo de caixa é o rei – A analogia não poderia ser mais clara. A gestão do fluxo de caixa deve ser a sua atividade mais importante quando você for criar uma empresa. Muitos vão lhe dizer que você dever ser um bom vendedor – de fato, os grandes empreendedores são exímios vendedores – mas a gestão do caixa da empresa é a sua atividade mais nobre.

Entenda por gerir o caixa o desenvolvimento e o acompanhamento de atividades como a analise das áreas da empresa nas quais você vai investir ou gastar dinheiro, o que comprar , quando e como pagar, o que vender, como parcelar e quando desistir da venda. As informações de entrada e saída do dinheiro ao longo do tempo resumem bem a gestão do caixa em curto, médio e longo prazo.

Evite contrair dividas sem antes ter uma gestão organizada do fluxo de caixa da empresa. Não saia comprando sob qualquer condição de pagamento, pois talvez mais importante que o preço a ser pago sejam as condições que você negociou para fazer o pagamento. O mesmo ocorre com as vendas. Muitos empreendedores se empolgam e fazem de tudo para concretizar uma venda, parcelando de forma convidativa para os clientes. Isso pode atrair mais clientes, mas você devera ter caixa para manter a empresa funcionando enquanto os pagamentos não são feitos.

Parece simples, mas muitas empresas quebram não porque não vendem, mas porque vendem demais e de forma desorganizada, ficando com “buracos” no caixa, o que as leva a buscar ajuda desesperada em bancos para conseguir capital de giro. E você deve saber que capital de giro é um recurso de curto prazo e o mais caro de obter, pois os bancos cobram taxas altíssimas para emprestar. Resumindo, se o caixa não for tratado como Rei na sua empresa, logo você não passara de um simples súdito suplicando ajuda aos donos do dinheiro.

Quitar Dívidas

Só comece um negócio após ter quitado todas as suas dívidas

Quitar DívidasVocê está com dívidas que não param de crescer e pensou  que o negócio próprio pode ser a saída, pois com isso ganhará mais dinheiro e poderá quitar os débitos. Parece lógico, mas na prática é um pouco mais complicado. Se você tem dividas, trata-se de comprometimentos financeiros pessoais que poderão prejudicar seriamente o seu (futuro) negócio próprio.

Caso sua empresa precise de empréstimos em bancos ou tenha a possibilidade de fornecer produtos/serviços ao governo ou a grandes empresas, por exemplo. É comum que sejam solicitadas várias certidões negativas de débito não só da empresa, mas dos sócios.

Se você estiver pagando suas dividas dentro do previsto, sem atrasos,  é provável que seu nome não esteja incluindo em listas de devedores em algum banco de dados de pessoas com débitos não quitados, não tente começar uma empresa antes de quitar totalmente suas pendências financeiras pessoais, pois poderá criar problemas ainda maiores para você mesmo.

O negócio próprio de ser visto como uma alternativa não só para ganhar dinheiro , mas para a realização pessoal. E, se a motivação da criação da empresa for corrigir problemas pessoais e a falta de uma boa gestão financeira, não siga em frente antes de se preparar adequadamente, pois se você não conseguiu equilibrar suas dívidas pessoais terá dificuldades muito maiores para acertar as finanças de sua empresa.

Para que um negócio seja bem sucedido não pode ser gerenciado com amadorismo. É difícil encarar esse problema, mas o mais complicado é fingir que ele não existe e depois se frustrar profundamente.

Fonte: Empreenda (quase) sem dinheiro

José Dornelas

empreendedorismo

Ser Empreendedor no Brasil…

empreendedorismoVocê já dever ter ouvido comentar que no Brasil é complicado empreender, que o acesso a recursos é muito limitado e as taxas cobradas pelos bancos são extorsivas. De certa forma, quem passa por esse processo de busca de dinheiro realmente vai encontrar um cenário nada convidativo se a única alternativa considerada for bater à porta de bancos comerciais. Mas será que esse é um fenômeno brasileiro?

Longe de ser uma característica do sistema de crédito brasileiro, isso ocorre na maioria dos paises, mesmo nos mais desenvolvidos. O fato é que o empreendedor precisa entender que qualquer negócio em fase embrionária ou de planejamento sempre vai representar um alto risco para quem empresta recursos financeiros. Mesmo negócios já estruturados que buscam dinheiro em bancos comerciais enfrentarão grandes desafios.

É a lógica do risco versus recompensa. O empreendedor imagina, erroneamente, que os bancos são os principais parceiros iniciais para começar um negócio. Mas os bancos analisam o negócio na fase inicial com uma aposta muito arriscada e, assim, cobram caro pelo recurso, quando emprestam, pois na maioria dos casos solicitam uma garantia real do empreendedor em caso de não pagamento do empréstimo. O que muda em relação aos outros países está no fato de que certas economias mais estáveis praticam taxas de juros menores e permitem que os bancos cobrem menos juros dos emprestadores de dinheiro: os empreendedores. Mas não muda muito, pois o negócio em fase inicial em qualquer lugar do mundo terá riscos e, dessa forma, será menos convidativo para receber empréstimos vantajosos.

O que você deve fazer? Deve analisar todos s riscos do negócio, planejar cada passo e, o mais importante,  levantar TODAS as alternativas de investimento e financiamento  existentes. Com isso, perceberá que os bancos comerciais não são a fonte de recursos mais adequada para um negócio em fase inicial em nenhum lugar do mundo. Há um mito de que os bancos comerciais são o lugar certo, onde o empreendedor deve bater à porta para começar o seu negócio. Errado!

Como aumentar os preços de seus produtos

No texto abaixo você descobre como fazer para aumentar os preços sem afugentar os clientes, confira!

Muitos anos atrás, Paun Nadler, um fascinante economista da Rutgers University, falou para um grande grupo de empresários.

Ele nos condenou por não prestarmos atenção à inflação, só porque havia caido de 12% para 6%. Segundo ele, se um rato for colocado em água morna cuja temperatura seja elevada em um grau por hora, ele não sai do lugar, ainda que a água ferva. Quando se analisa o efeito composto de uma inflação anual de 6%, v~e-se que é extremamente sério e criaria um efeito incrível, com o passar do tempo.

Nunca esqueci aquela lição. Do outro lado da moeda do professor Nadler, existe uma lição interessante sobre precificação de mercadorias que são compradas repetidamente e cujo o prelo é notado e lembrado. Virando ao contrário este principio, quando for possível e prático, os preços devem ser elevados aos pouquinhos por um longo período, ainda que em determinadas ocasiões isso não seja necessário. os compradores vão ficar muito mais satisfeitos com o prelo se você evitar um grande choque.

A escola dos nossos filhos, depois de anos sem aumentar as mensalidades, viu-se diante da necessidade de uma grande elevação no período de um ano. O aumento súbito criou grande insatisfação na comunidade de pais. Com a nossa  sinagoga aconteceu a mesma coisa, gerando mal-estar na congregação. Tanto a escola quanto a sinagoga deveriam ter referido “ferver o rato”.

aumentar o preços sem assustar os clientesNo exemplo o lucro extra é de R$974. Resultado: mais lucro e clientes mais felizes, bem como fluxo de caixa adicional a partir do segundo ano, durante seis anos